Logo Sinmed

Notícias
A- A A+
Tamanho do texto

30/01/17

Sinmed RN visita unidades de saúde em Mossoró e solicita audiência com Rosalba

Foto da notícia Diretoria do Sinmed e Obstetras do Almeida Castro


O Hospital Tarcísio Maia e o Hospital Maternidade Almeida Castro receberam a visita da diretoria do Sindicato dos Médicos do RN (Sinmed RN) no sábado, 28, para averiguação das condições de trabalho dos médicos que atuam nas unidades.

No Tarcísio Maia a grande preocupação do sindicato é com as escalas médicas incompletas, principalmente na pediatria que durante dias fica sem o especialista, e também com a multiplicidade de vínculos no mesmo hospital, e quase todos eles com algum atraso nos pagamentos – o que pode provocar suspensão nos atendimentos.

Os médicos são contratados por empresas de especialidades, através da prefeitura, e existem, em número menor, médicos concursados do estado e do município. Os atrasos salariais constam desde o mês de outubro de 2016.

Também falta segurança no hospital. De acordo com o médico Ronaldo Fixina, há meses não existe segurança (armada ou desarmada) na unidade. Além disso, não existe médico intensivista no hospital, a UTI funciona com os profissionais clínicos.

Já no Hospital Almeida Castro, que recebeu os serviços do Hospital da Mulher fechado em outubro do ano passado, o sindicato percebeu melhor administração. O Hospital é administrado originalmente pela Associação de Assistência e Proteção a Maternidade e a Infância de Mossoró – APAMIM, mas passa por intervenção judicial federal há mais de dois anos.

A preocupação do Sinmed é com relação a possíveis mudanças que possam ser feitas na unidade com a nova administração municipal. “O que podemos observar é que a escala está completa e há uma grande preocupação dos médicos que esta escala se mantenha assim, já que o serviço melhorou muito a qualidade. Existe a possibilidade de redução de profissionais por economia, o que pode desestruturar o serviço”, afirma Geraldo Ferreira, presidente do Sinmed RN.

Outra queixa dos médicos da maternidade são os atrasos salariais que chegam há quatro meses sem repasses.

O Sinmed RN encaminhou ofício para a prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarline, solicitando audiência para o próximo dia 10 de fevereiro, para externar as preocupações dos médicos e solicitar um calendário de pagamentos.
 

Fonte: Sinmed RN

PROBEM
Rua Apodi, 244 - Centro | Natal RN
Fone: 84 3222 0028 / 84 9911 0506
sinmed@sinmedrn.org.br