Logo Sinmed

Artigos

02/03/15

Acerca da Solidão

Por Drº Francisco Fábio - Diretor do Sinmed RN

Quando li "Elogio à Loucura" um antigo clássico da literatura mundial que valoriza e defende de um modo bastante inteligente a senilidade ou "caduquice" do idoso , resolvi apesar de não ser um estudioso no assunto, mas usando minha pequena experiência de vida e a leitura de textos sobre o assunto, tercer algumas considerações sobre outro ente bastante comum na sociedade moderna , a solidão. Como nos deparamos com ela no nosso dia a dia, como é comum ouvirmos : continuo ou estou "alone" ou até mesmo vou viajar "alone"(modo bastante informal de se dizer: sozinho)

Que dizer da solidão? Em sua maioria, a sua origem é por circunstâncias adversas ou impostas (doença, separação, encarceramento ) ou por escolha própria (pensadores, religiosos em fase de retiro clausura, etc) . Estar sozinho pode ser algo positivo e prazeroso, desde que esteja sob o controle do indivíduo que fez essa opção. Já a solitude é " estar sozinho " sem companhia, e implica em sua grande maioria numa escolha consciente. Para você estar em estado de "solidão " não se faz necessário a ausência de companhia já que ela pode ser sentida mesmo em lugares densamente povoados.

Ela também pode ser descrita como uma falta de identificação, de compreensão do meio em que habitamos. Em nossa evolução como indivíduo e ser pensante, esse processo de separação ou solidão começa ainda no nascimento, e isso vai nos contemplando com uma " crescente independência " até a fase adulta; De modo que o " sentir-se sozinho " pode ser uma emoção saudável e até prazerosa apesar de sempre ser uma "separação" de todos e de tudo; apesar de que nada relacionado com o forte sentimento de abandono ou inutilidade. Há também os estados doentios que cursam com depressão , ansiedade e rejeição. Já foi dito por vários pensadores que a "escolha " de ficar sozinho durante um período de solitude pode ser enriquecedora para o intelecto e para o espirito.

Para sentir solidão, entretanto, o indivíduo passa por um estado de profunda separação ou afastamento, com riscos de se manifestar em negativos sentimentos de abandono, rejeição ou mesmo depressão e desesperança. Se tais sentimentos são prolongados eles podem se tornar debilitantes e bloquear a capacidade do indivíduo de ter um estilo de vida e relacionamentos saudáveis.

O cantor Alceu Valença disse em uma de suas canções dos "anos 80" : A solidão é fera a solidão devora, é amiga das horas , prima irmã do tempo. Por falar em tempo, creio que qualquer coisa que possa ser comparada ao tempo, merece respeito, já que o considero senhor de todas as situações e épocas , o único capaz de conseguir apagar uma dor, uma boa ou má lembrança. Sem dúvidas, há varias maneiras ou "atalhos" pelos quais poderíamos analisar , gostar ou odiar a solidão .

Em algumas pessoas, a solidão temporária ou prolongada pode até levar a notáveis expressões criativas, mas Isto não implica dizer que a solidão desencadeia criatividade, ela simplesmente pode ou não influenciar positivamente se o indivíduo já for dotado. Talvez pelo fato de haver saído bastante cedo da casa paterna para ir estudar fora ou talvez pela minha já conhecida timidez ou introspecção , curto a "minha solidão " numa boa, não tenho grandes problemas de convivência com esse mal do século XXI.
Medico e diretor do SINMED/Rn 

PROBEM
Rua Apodi, 244 - Centro | Natal RN
Fone: 84 3222 0028 / 84 9911 0506
sinmed@sinmedrn.org.br